Aflição - Meio de Aprendizado

“Foi-me bom ter eu passado pela aflição, para que aprendesse os teus decretos”. – Salmo 119:71.

Como pode alguém dizer que passar por aflição é uma coisa boa?

Infelizmente para muitos essa é a única forma de aprender alguma coisa.

Você já deve ter ouvido dizer que a pessoa inteligente aprende com os próprios erros, mas as sábias aprendem com o erro dos outros. Que tipo de pessoa você é?

Por que muitas pessoas aprendem somente se passarem por aflição?

  • Não consideram aquilo que Deus diz e orienta na sua palavra.
  • Não buscam conselho com pessoas mais experientes, pois são orgulhosas para reconhecerem que precisam de direção e de ajuda.
  • Tem situações que as coisas estão tão claras, mas só que a pessoa não vê, e não admite que esteja errada. Ela não tem a capacidade de discernir, pois o que deve prevalecer é a sua vontade.

Quando as situações acima se estabelecem na vida da pessoa, pode esperar que ela vai passar por aflições, e somente depois de dar com a “cara na parede”, é que aprenderá os decretos do Senhor.

Salmos 119:67 – “Antes de ser afligido, andava errado, mas agora guardo a tua palavra”.- Novamente o salmista nos fala que a aflição deve servir para corrigir os erros e aprender a guardar a palavra do Senhor.

De forma bem prática, em que situações posso ser afligido?

  1. Quando quero que seja feita a minha vontade;
  2. Quando tomo uma decisão em cima daquilo que me traz benefícios, lucro, embora saiba que Deus não está aprovando;
  3. Quando minhas emoções prevalece sobre a minha razão. Isso é muito comum nos relacionamentos sentimentais. Quantos casamentos hoje são falidos porque a pessoa não considerou os sinalizadores que foram dados por Deus, pelos pais, pelas pessoas que exerciam autoridade sobre sua vida, de que não daria certo.
  4. Quando, em especial, adolescentes não querem ouvir conselhos dos pais e dizem: “Esta foi a tua experiência, eu quero ter as minhas”.

A pior coisa que pode acontecer no meio de uma crise, de uma aflição, é a pessoa não tirar nenhuma lição, nenhum ensinamento.

Como vemos na experiência do salmista, a aflição serviu como um processo de aprimoramento, pois certamente se tornou mais sábio do que era no passado.

Não seja como o garoto que jogava xadrez com o avô e reclamou: - Ah, essa não, vovô! De novo? O senhor ganha todas! – O que você queria que eu fizesse? – perguntou o avô. – Que perdesse de propósito? Se eu fizesse isso, você não aprenderia nada. – Mas eu não quero aprender nada mesmo – respondeu o menino – Só quero ganhar o jogo.

Muitas vezes essa é a nossa posição: não queremos aprender, somente queremos ganhar, motivo pelo qual somos imaturos e inexperientes para vencer as demandas que a vida nos apresenta.

Facebook

Site Login